Histórico

O primeiro sistema de abastecimento de água foi construído em 1911 e constava de uma adutora de ferro galvanizado, diâmetro 75mm, que aduzia água por gravidade até um reservatório enterrado, feito de pedra, denominado de Captação do Capão da Onça.

Em 1936, passou-se a captar água do Córrego de Baú, também por gravidade, em adutora de 125mm de diâmetro e uma extensão de 6 km que abastecia um reservatório de 200 m3, semi enterrado, de concreto armado e situado próximo ao primeiro.

Tornando-se este manancial insuficiente para abastecer a população, houve então necessidade de procurar outro: a captação de água subterrânea.

Foram perfurados cinco poços profundos. Foi construída uma casa de máquinas que abrigava um conjunto elevatório, um compressor e um gerador a óleo diesel.

Dois destes poços tiveram que ser abandonados por apresentarem água com alto teor de ferro, a ponto de obstruí-los por incrustações nas canalizações. Para suprir esta falta, mais dois poços foram perfurados; o sistema passou a funcionar com vazão de aproximadamente 14 litros/segundo, sendo a água conduzida por recalque para os reservatórios semi-enterrados de 200m3 e elevado de 30m3, localizado na atual Praça Júlio Azevedo Oliveira.

Para resolver o problema de abastecimento de água na cidade, foi criada a Autarquia Municipal SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO – SAAE, pela Lei Municipal nº 451 de 15 de junho de 1965.

Para a administração de SAAE foi firmado convênio entre o Município de Boa Esperança e a Fundação de Serviços de Saúde Pública- SESP, atual Fundação Nacional de Saúde – FUNASA, que através do Setor de Engenharia estudou a possibilidade de fazer a captação de água em três diferentes mananciais, ou seja: – água do Açude do Duque, – captação da água do lençol subterrâneo com alto teor de Fe, lençol mais profundo ( em torno de 120m de profundidade) e – captação da água do lençol subterrâneo com baixo teor de Fe ( torno de 60m de profundidade).

O manancial selecionado foi o AÇUDE DO DUQUE, distante 1600 metros da cidade.

O manancial foi estudado e o projeto global elaborado. E em 04 de abril de 1968 foi assinado o convênio de abertura de crédito fixo e outros pactos, entre o SAAE e o Banco do Brasil com interveniência da Prefeitura Municipal de Boa Esperança e Fundação SESP, para aplicação dos recursos provenientes do empréstimo 82/SF-BR que o Banco Interamericano de Desenvolvimento concedeu ao governo brasileiro, através do Banco Central do Brasil, no valor de US$140.000,00 (cento e quarenta mil dólares norte americanos) para a construção do sistema de água da cidade, o qual foi reduzido para US$131.732,02, conforme termo redutivo de “Re-ratificação” datado em 30/06/72.

O referido empréstimo foi parcelado em 33 prestações semestrais pagas em dólares no prazo de 18 anos e 155 dias, sendo a primeira prestação paga pelo SAAE em julho/70 e a última em julho/86. Todas as prestações foram pagas com a taxa de câmbio do dia do pagamento.

Após a execução do projeto, foi inaugurado em 18/10/1969, no ano do centenário da cidade , o sistema de abastecimento de água da cidade que veio dotar Boa Esperança de um dos melhores sistemas existentes no Brasil, operando nos mesmos moldes de outros 255 distribuídos em 16 estados e usufruindo, também, dos vários anos de experiência da Fundação SESP no setor.

Em 1971 para estabilizar o nível d´água foi construída um barragem e então formando o Lago dos Encantos pois em 1961 com o fechamento das comportas da Hidroelétrica de Furnas, parte da área urbana de Boa Esperança foi alagada.

Em 19 de junho de 1979, entrou em operação a maior obra de esgotamento sanitário, um emissário de esgoto de aproximadamente 2.000 metros, contornando o perímetro do Lago dos Encantos.

Em dezembro de 1999, foi encerrado o convênio entre o Município de Boa Esperança e a Fundação Nacional de Saúde para a administração da Autarquia. No mesmo ano foi inaugurado o reservatório de capacidade de 1000m3 no Jardim Aeroporto e a ampliação de rede de esgoto dos Bairros acima do Nova Era.

Em 2001 foi inaugurada a nova Captação no Lago dos Encantos, que corresponde a 85% da água bruta utilizada.

Em 27 de outubro de 2007, entrou em operação a duplicação da Adutora de Água Tratada no trecho entre a Estação de Tratamento de Água e a Elevatória do Centro.